Vitor Bueno
Foto: Reprodução / Conmebol

São Paulo e Racing se enfrentaram na noite desta terça-feira (13) e o Tricolor ficou apenas no empate contra os argentinos por 1 a 1.

Vitor Bueno, que saiu do banco de reservas para substituir Éder aos 27 minutos do primeiro, foi de candidato a herói a vilão da partida. O camisa 12 abriu o placar para os são-paulinos aos 34 em uma falha do goleiro argentino. O confronto, que estava equilibrado até esse momento, se transformou e a equipe de Hernán Crespo teve ótimas oportunidades de ampliar o marcador e levar uma grande vantagem para o jogo de volta na Argentina.

Após um contra-ataque puxado por Welington, Vitor teve a bola para marcar o segundo, mas parou nas mãos do arqueiro rival. O gol complicaria muito a situação do clube de Avellaneda, porém a chance desperdiçada deu a oportunidade para que os argentinos empatassem, o que aconteceu nos acréscimos da primeira etapa.

Em entrevista após a partida, Bueno falou sobre a chance desperdiçada, admitindo seu erro na finalização, mas exaltando a recuperação do goleiro adversário:

Claro que poderíamos ter saído com vantagem maior, teve meu erro. Mérito do goleiro que voltou rápido e conseguiu defender. Tivemos oportunidade com Nestor. Um pouco de desatenção nossa e fomos pro intervalo com empate. Temos condições de ir pra Argentina e reverter, tem o gol fora. Podemos sair classificados“, justificou.

A partida da volta acontecerá na terça-feira (20). O São Paulo precisa vencer por dois gols de diferença para se classificar diretamente às quartas de final.

Post anteriorSão Paulo desperdiça chances e fica apenas no empate contra o Racing
Próximo Post“Precisamos ganhar tempo para que os jogadores retornem”, comenta Crespo
Formado em jornalismo pela Faculdade das Américas. Sempre amei escrever e sempre amei o São Paulo Futebol Clube. Essas duas paixões me motivam a produzir conteúdo sobre o meu time do coração. Mas eu também gosto de falar política, história e entretenimento. Porém, já aviso que minhas opiniões não são simples a respeito de nada. O mundo é complexo e eu não sou diferente.