Foto: Reprodução / São Paulo FC

O São Paulo/Barueri começou neste domingo (14, no ginásio José Correa, sua trajetória nos playoffs da Superliga Feminina. O Tricolor perdeu o primeiro jogo, da série melhor de três, contra o Dentil Praia Clube por 3 sets a 2.

Sem contar com o treinador José Roberto Guimarães, suspenso depois de receber três cartões vermelhos na fase de classificação, as Chiquititas mostraram raça e fizeram um grande duelo contra o Praia. As adversárias levaram o primeiro set, depois de um início disputado.

No segundo set, as meninas tricolores fizeram jus a vaga na fase decisiva e dominaram as rivais terminando com uma grande vitória por 25 a 17. Porém, do outro lado, Fernanda Garay e companhia não deixaram barato e voltaram para o terceiro set com sangue nos olhos, batendo as são-paulinas por 25 a 14.

No quarto set um equilíbrio total, a partida foi disputada ponto a ponto, com destaque para o funcionamento do bloqueiro Tricolor, que conseguiu pequena vantagem e levou o duelo para o tie-break.

No set decisivo, mais emoção. Apesar do Praia ter conseguido ligeira vantagem, as Chiquititas buscaram o empate e até ficaram à frente do placar, mas não foi possível sustentar essa situação até o fim.

No fim, o Praia Clube ficou com a vitória no set e no jogo, 16 a 14. O próximo jogo entre as equipes acontece na próxima quinta-feira (18), em Uberlândia.

Parciais:

  • SPFC 19 x 25 Praia Clube
  • SPFC 25 x 17 Praia Clube
  • SPFC 14 x 25 Praia Clube
  • SPFC 25 x 23 Praia Clube
  • SPFC 14 x 16 Praia Clube
Post anteriorComo foi a atuação de Rodrigo Freitas contra o Novorizontino?
Próximo PostCampeonato Paulista em Minas Gerais? Prefeito de BH não vê problemas
Formado em jornalismo pela Faculdade das Américas. Sempre amei escrever e sempre amei o São Paulo Futebol Clube. Essas duas paixões me motivam a produzir conteúdo sobre o meu time do coração. Mas eu também gosto de falar política, história e entretenimento. Porém, já aviso que minhas opiniões não são simples a respeito de nada. O mundo é complexo e eu não sou diferente.