Crítica de Ceni seria de algo já superado no SPFC>
Foto: Reprodução

Após a vitória pelo placar mínimo sobre o Santo André, na noite de quarta-feira última, o técnico Rogério Ceni concedeu uma coletiva em que explanou duramente questões internas do clube. Entre elas, apontou que a recuperação dos jogadores estaria sendo relegada, com atletas saindo muito cedo dos tratamentos e se cuidando em apenas um turno. O clube, no entanto, assegura que tais críticas são antigas e já estão superadas.

A apuração é do jornalista Jorge Nicola. De acordo com as informações trazidas por ele, de fato, no ano passado, o que teria levado pessoas do clube a não entenderem as palavras de Ceni na coletiva. Isso não mais estaria ocorrendo, uma vez que o clube só está trabalhando com profissionais de dedicação exclusiva e que trabalhem em período integral.

Um dirigente do São Paulo assegurou que o problema é do ano passado. É uma crítica antiga. Até por isso, o São Paulo não entendeu por que Rogério Ceni trazia à tona todos esses problemas. Só para explicar: de fato, vários dos funcionários do Tricolor contratados pela antiga gestão faziam só meio período. E o departamento de recuperação encerrava suas atividades no começo da tarde. Isso acabou. Ricardo Sassaki, que era um dos chefes da fisioterapia, foi demitido porque não quis dar exclusividade ao São Paulo. E a partir deste ano só funcionários que trabalham exclusivamente para o Tricolor permaneceram no clube“, destrinchou Nicola.

Veja o vídeo completo abaixo ou clique aqui.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorPara Arnaldo Ribeiro, assunção de comando por Ceni após a última coletiva tem mais prós do que contras
Próximo PostSão Paulo inicia venda de ingressos para jogo contra a Inter de Limeira; saiba como e quando adquirir
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.