Técnico do Del Valle conta como preparou o time para enfrentar o SPFC na final da Sul-Americana 2022

O Independiente del Valle, do Equador, foi o adversário do São Paulo na final da Copa Sul-Americana 2022 no jogo único que aconteceu em Córdoba, na Argentina, no dia 1º de outubro e terminou com vitória dos equatorianos por 2×0, que se sagraram campeões da competição internacional.

O técnico da equipe é Martín Anselmi, que tem apenas 37 anos, tem chamado a atenção por seu comando no Del Valle, visto que após vencer o Tricolor também conseguiu superar o Flamengo na Recopa Sul-Americana.

Em entrevista à ESPN, Anselmi falou sobre como foi o preparo para enfrentar o São Paulo, que na época tinha Rogério Ceni como treinador, na grande decisão:

“Realmente o São Paulo nos custou muito trabalho. Devo reconhecer que o São Paulo nos deu muitíssimo mais trabalho do que todos os outros que tínhamos enfrentado a nível local e internacional, porque Rogério Ceni fazia muitas mudanças de sistema. Por momentos jogava com linha de 3, por momentos colocava uma linha de 4. Por momentos eram 3, mas Rafinha tinha uma posição em que poderia começar jogando como ala e depois como zagueiro. Então defendiam com quatro, mas atacavam com três, junta muita gente ou juntava muita gente na metade do campo com uma só referência no ataque, que era Calleri. Luciano, Patrick, Neves, Maia. São jogadores que podiam se mover por todos os lados com dois alas muito bons, Reinaldo e Igor Vinícius. A verdade é que eu gostava muito de um zagueiro canhoto que saiu, Léo, que conduzia bem e que te empurrava para seu próprio campo”.

E continuou: “Acreditávamos que era uma partida muito dura e não detectamos rapidamente – vamos atacar assim ou vamos defender assim? Então nos custou muitos jogos de análise, acredito que assistimos a mais de 20 jogos do São Paulo para esta final, em que umas três ou quatro semanas antes da decisão, nem bem nos classificamos, começamos a nos reunir com a comissão técnica. Pela manhã, nosso trabalho normal e habitual do que ainda competíamos, mas durante as tardes e nas concentrações – quando íamos jogar, por exemplo, em Guaiaquil, na noite anterior do jogo – nos reuníamos no hotel, pedíamos uma sala e nos colocávamos a esmiuçar e encontrar padrões do São Paulo para poder ir com plano definido, porque não podemos. Para o jogador, a ideia tem que chegar concisa, mastigada e clara”.

O treinador ainda disse considerar uma façanha vencer uma equipe como o São Paulo.

“Nos jogos anteriores à final, eles tiveram bons desempenhos com linha de 4 (contra o Avaí, quando golearam, e também pela Copa do Brasil, apesar de não terem conseguido a virada). Decidimos apostar que eles iriam jogar com a linha de 4 e preparamos o jogo assim com alguns detalhes caso fizessem uma linha de 5. Era um desafio muito grande enfrentar o São Paulo, então tínhamos que ser muito valentes para poder pressionar e defender para poder levar o jogo aonde nós gostamos, sabendo que eles têm muita experiência e muita gente por dentro. Depois de muitas voltas – porque tenho que ser sincero, dei uma infinidade de voltas no plano do jogo -, acabei decidindo que o melhor era ser o mais agressivo possível e pressionar com um meia avançado e dois atacantes, botar alas contra alas e por dentro estar bem cobertos. Estávamos homem a homem praticamente em vários setores do campo. E bom, acredito que no final acertamos, fizemos bem, e eles pressionaram muito bem. Também propuseram uma pressão bastante agressiva, o que nos custou para encontrar nosso jogo, mas à medida que o jogo foi correndo e eles foram diminuindo (a pressão), baixando as energias, nós pudemos começar a fazer o que tínhamos treinado e o que somos, uma equipe que tenta rodar a bola, porque tem que jogar como time – se nossos jogadores começassem a driblar um por um do São Paulo, não íamos conseguir. E acabamos fazendo um segundo que para mim é o mais representativo do Independiente del Valle ao longo de sua história: todos os 11 jogadores de campo tocam na bola. Isso para nós significou algo glorioso, e a magnitude de ganhar de uma equipe como o São Paulo para mim é algo que é uma façanha”.

Na última quarta-feira (07), o Independiente del Valle venceu o Corinthians em casa por 3×0 pela 5ª rodada da fase de grupos da Libertadores, garantindo-se na próxima fase da competição internacional, o que resultou também na eliminação precoce da equipe Alvinegra.

Siga-nos no Instagram, no YouTube e no Twitter. Conheça a nossa Loja.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você concorda com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler mais