Carta aberta aos candidatos Julio Casares e Roberto Natel

As eleições para conselheiros, presidente da diretoria e presidente do Conselho Deliberativo nem sempre são temas tão populares entre a maioria do torcedores. Porém, o pleito que ocorrerá em dezembro deste ano é certamente um dos mais importantes da história do São Paulo.

Sem nenhum exagero ou figura de linguagem, a gestão que se iniciará em 2021 terá nas mãos a missão de devolver a instituição ao lugar que ela merece, ou poderemos presenciar uma infeliz derrocada como ocorreu com clubes tradicionais como Botafogo, Vasco e mais recentemente com o Cruzeiro.

Dívida galopante, altos e impraticáveis custos no futebol (sem retorno em resultados, prioritariamente em títulos) e modelo de gestão fechado. Esse tripé foi o que levou os clubes acima à situação tão delicada, e é também o que tem seguido o São Paulo desde o fatídico terceiro mandato de Juvenal Juvêncio.

Zoeiras à parte, é horrível se colocar na situação do torcedor do Cruzeiro. A situação é totalmente incontrolável, sem perspectivas, levando um clube gigantesco a poder jogar a Série C em 2021 após títulos e conquistas tão recentes.

Com isso, candidatos, eis um pedido de alguém que ama o São Paulo Futebol Clube, certamente na companhia de milhões de torcedores em todo o país: está na hora de encarar os problemas de frente. Limitar gastos com o futebol, enxugar a folha salarial e diminuir a dívida, que dizem, pode chegar a casa dos R$ 800 milhões em 2020.

O torcedor evidentemente lamenta os péssimos resultados desde 2012 e tem urgência em levantar um troféu, o que não significa um salvo conduto para gastar e jogar o clube no buraco. Não sejam irresponsáveis ao ponto de diminuir drasticamente ou até mesmo acabar com, muitas vezes, o único entretenimento de milhões de pessoas: o amor por seu time de futebol.


Anderson Dias

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: