#ColunaAT – Diego Souza e Nenê: de salvação a vilão. A culpa é de quem?

A coluna Resenha SPFC é escrita pelo Renan Aquino e será publicada semanalmente, contendo muita análise sobre o Tricolor! Confira aqui o índice da Coluna.

Em 2018, certamente, duas das maiores contratações para um ano que se anunciava difícil e desafiador foram Diego Souza e Nenê. Era naquele momento a busca por um time mais experiente que voltasse a brigar por coisas importantes. É inegável que bons momentos existiram, mas o que restou a nós daquele time do primeiro turno do Brasileirão?

Diego Souza sempre foi um líder em todos os times que passou, acostumado a ser protagonista. Sua apatia e sua falta de interesse em liderar – inclusive nos momentos bons – me preocuparam desde o começo. Agora ver um jogador de futebol profissional muito bem remunerado completamente conformado em bater cartão no São Paulo Futebol Clube e estar com as malas prontas para ir embora é revoltante. Nosso time foi isca de técnico de seleção que cismou que ele era centroavante; alguns gols saíram – é fato- mas o treino físico-tático para a posição que ele poderia ajudar neste momento (meio campo) não foram continuados e agora temos um atleta profissional sem condições nenhuma de jogar em qualquer posição que não sobrecarregue o restante do time. 

E o que falar do Nenê? Dá para esquecer que quando as coisas ainda estavam boas ele conseguiu protagonizar e tornar o ambiente carregado para absolutamente nada? Os momentos positivos deste jogador são incapazes de justificar a camisa 10 de tantas glórias vesti-lo. O líder da panelinha não dá mais entrevistas e tudo vai ficar bem quando ele sair do time e dizer que o técnico não deu o espaço, mas que agora vai conquistar em outro lugar. 

Nenê e Diego Souza formam hoje a dupla que onera a folha de pagamento do São Paulo e é onde deve começar a reformulação.Pensando em montante salarial é possível acreditar que Tchê Tchê e Guedes ganhariam mais do que a dupla do futmesa? 

O São Paulo precisa mudar; não tem essa de dar tempo, não está satisfeito vende, não querem pagar o que custa afasta. Está mais do que na hora de alguém nesse clube bater na porta do vestiário e acordar esses “come-dorme” liderados hoje pelos atletas profissionais de resenha. 






O São Paulo não precisa deles, se eles precisam – como todo trabalhador – do salário que corram atrás com seu mérito e deixem a história do clube seguir. 

Nenê e Diego, bom carnaval para vocês (longe do São Paulo!). 


Renan Aquino, são-paulino desde 1991 por culpa de Telê, Raí e do meu pai (que me deixou escolher a melhor opção). Empresário na área de qualidade de vida e saúde, pai de duas meninas e lateral-esquerdo nas horas vagas.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Comente com sua conta do Facebook: