Careca, o goleador!

Antonio de Oliveira Filho, conhecido por todo o mundo como Careca, foi um dos maiores jogadores que atuou com a camisa Tricolor.

Para muitos, o maior atacante que já passou pelo São Paulo, o que pode gerar discussões, já que tivemos Serginho Chulapa, Leônidas da Silva, Friedenreich, Gino Orlando e outros.

De qualquer forma, o craque nascido em Araraquara despontou cedo no Guarani, sendo a revelação do Brasileirão de 1978, o único conquistado por uma equipe do interior até hoje.

Ficou de fora da Copa do Mundo de 1982 por uma contusão às vésperas do início da competição e chegou ao Tricolor Paulista no ano seguinte.

Após um início cercado por muita expectativa, fez sua estreia marcando gols, mas depois passou por algumas dificuldades e os mais afoitos, reclamavam da contratação do atleta (sim, naquele tempo, já existiam os malas que não sabem esperar).

Ao lado de uma geração de craques da base como Muller, Silas, Sidnei e com o comando do espetacular Pita, vindo do Santos, além de uma muralha na defesa, composta por Oscar e Dario Pereyra, Careca viveu seu auge.

Os títulos e reconhecimento não demoraram a aparecer e as conquistas dos Paulistas de 1985 e 1987, mas principalmente o Brasileirão de 1986 com um gol espírita no último minuto da prorrogação contra seu ex-clube, o Guarani, solidificou o momento fantástico do camisa 9.

Careca teve seu destaque na Copa do Mundo de 1986, no México, quando marcou 5 gols e foi vice-artilheiro do torneio em que o tetra não veio para o Brasil, mas o mundo despertou interesse no atacante.

Após algumas propostas, o Nápoli de Diego Maradona, o levou do São Paulo e na época, a Liga Italiana era o campeonato mais forte da Europa.

O sucesso se repetiu com atuações memoráveis e uma dupla infernal com o argentino rendeu o título nacional na temporada de 1989–90, a Supercopa da Itália em 1990 e a inesquecível Copa da UEFA (hoje chamada de Liga Europa) na temporada 1988–89.






O pequeno clube italiano se tornava uma das maiores forças do velho continente e Careca se consolidava com um dos maiores atacantes do mundo.

Mesmo após a saída de Maradona e outros jogadores, enfraquecendo o Napoli, Careca continuou no clibe até 1993, quando partiu para um novo desafio no Japão, atuando pelo Kashiwa Reysol.

Ajudou o clube japonês a subir para a primeira divisão em 1994 e se consolidar na J.League. Voltou para o Brasil em 1997, para atuar por alguns jogos no Santos, clube pelo qual torcia na infância e em 1999, transferiu-se para o São José de Porto Alegre, onde disputou algumas partidas no Campeonato Gaúcho e se aposentou como atleta.

Números pelo Tricolor do Morumbi

Careca marcou a memória de muitos torcedores durante sua passagem pelo Morumbi com gols decisivos e atuações espetaculares, disputando uma Copa do Mundo em seu auge, como jogador do Tricolor.

Fez 191 partidas com a camisa do São Paulo, marcando 115 gols entre 1983 e 1987.

Além dos títulos mencionados acima, teve conquistas individuais relevantes durante seu tempo no São Paulo, como a Bola de Prata do Brasileirão de 1985, a Bola de Ouro de 1986, foi eleito para a Equipe da América em 1986, conquistando a Chuteira de Prata da Copa do Mundo no mesmo ano, a artilharia do Campeonato Paulista de 1985 com 26 gols e do Campeonato Brasileiro de 1986 com 25 gols.

Um gigante que merece todas as homenagens. Para isso, editamos um pequeno vídeo em sua homenagem, confira:

 

Comente com sua conta do Facebook:
Você já conhece a Loja do Arquibancada? Modelos exclusivos para você mostrar o seu amor pelo Tricolor!

Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor