Diniz falou sobre demissão do São Paulo.
Foto: Reprodução

No Campeonato Brasileiro de 2020 o São Paulo esteve muito próximo de conquistar o título. Após golear o Botafogo por 4×0 em um jogo atrasado, o clube abriu 7 pontos de vantagem sobre o vice-líder e parecia inalcançável na tabela de classificação. Contudo, uma sequência de resultados negativos afastou o Tricolor da liderança, o que acarretou na demissão do então técnico Fernando Diniz. Em entrevista ao programa “Bem, Amigos“, o treinador falou sobre o episódio mais doloroso de sua carreira.

Atualmente sem clube, o treinador participou do bate-papo no programa da Globo e relembrou o momento vivido no São Paulo na reta final do Brasileiro e da Copa do Brasil. Postulante aos dois títulos, o time do Morumbi não conseguiu alcançar seus objetivos, o que fez com que Diniz fosse substituído pelo argentino Hernán Crespo. Para ele, a demissão foi deveras injusta e inoportuna.

O momento que eu senti que o São Paulo podia voltar foi no meu último jogo. Sou muito intuitivo. Aqui acho que dá para colocar as coisas no lugar, mas foi exatamente o jogo em que fui demitido. Nós estamos errando nisso, nisso, então temos que trabalhar na relação com os jogadores para reconstruir, para fecharmos e seguir. Eu acho que deveria ter ficado“, afirmou o treinador.

Questionado sobre qual demissão foi mais dolorosa na carreira, o treinador não titubeou ao apontar que foi a do Tricolor.

Foi a do São Paulo, obviamente. Foi um trabalho de muita gente, de uma torcida gigante e apaixonada, sem contratar ninguém, enxugando a folha e oportunizando. (…) Eu, talvez, fosse até desnecessário. Eles se entendiam bem. Foi uma pena termos caído tanto, tirou os dois títulos da nossa mão“, explanou Diniz.

Confira a entrevista completa clicando aqui.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorCeni rasga elogios a Moreira: “Inteligentíssimo! Um menino que tem desejo de vencer”
Próximo PostConfira o golaço de Calleri visto da arquibancada
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.