O que fazer com Martin Benítez?
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Neste sábado (27), o São Paulo venceu o Sport Recife por 2×0, no estádio do Morumbi. A equipe chegou aos 45 pontos com a vitória, porém, para conseguir os três pontos, o time precisou suar muito. O primeiro tempo foi equilibrado e o goleiro Tiago Volpi foi fundamental para o time ir ao vestiário empatando.

Sem criatividade, o treinador ouviu na descida ao vestiário o pedido da torcida para a entrada do meia argentino Martin Benítez. O atleta voltou para a segunda etapa e deu a assistência que abriu o placar da partida (gol anotado por Jonathan Calleri). Minutos depois, Gabriel Sara marcou o segundo e garantiu a vitória.

Na entrevista coletiva, o treinador falou sobre a utilização de Benítez: “É prazeroso ver um jogador técnico jogar. Agora, não me venha com essa história de deixá-lo sem marcar ninguém, que os outros marquem. Esse futebol já acabou faz tempo. Quem pensa assim, tem mentalidade pequena. Prefiro fazer com que ele cresça fisicamente do que se acomodar na parte técnica. Se ele crescer fisicamente, vai jogar mais. A decisão não é minha. A decisão é dele, o que ele quer para a vida dele”.

A questão Benítez virou regular nas entrevistas de Ceni. O jogador é pedido pela torcida, porém, desde a era de Hernán Crespo, o meia era visto como um atleta de qualidade, porém, com problemas físicos e que não participava tanto do jogo nos momentos em que o Tricolor não tem a bola.

Acho que é um jogador talentoso, joga em uma função bem específica. Se ele se entregar cada vez mais no dia a dia, terá condições de ganhar mais minutos. Prefiro colocá-lo no segundo tempo, quando o adversário está mais cansado. Hoje jogou 45 minutos, conseguimos a vitória”, declarou o treinador.

Para fechar, Ceni relembrou que tem um mantra para a formação do clube. O treinador gosta de acompanhar o time ao longo da semana e usa essas avaliações para escolher os 11 iniciais.

Quem conquista o espaço é no dia a dia. O time joga para frente e para trás. Hoje em dia não existe jogador que não colabora na parte defensiva. Talento, parte técnica, todos sabemos que ele tem. Depende do que ele entregar durante a semana. Avalio o atleta pelo que me entrega no dia a dia. O que conta para mim não são só esses 45 minutos”, finalizou Ceni.

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe o que de melhor acontece no São Paulo FC: 
Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Conheça a nossa Loja

Post anteriorNovamente decisivo, Sara chega a grandes números na temporada
Próximo PostCasares: “Quero parabenizar o técnico Alex e todos os integrantes das categorias de base”
Pedro Vinicius, 24 anos e sou de São Paulo. Formado em jornalismo e especialista em jornalismo esportivo sou apaixonado por futebol desde sempre.