TRIbuna do Braga – O exemplo do Ajax

A TRIbuna do Braga é escrita pelo Rodrigo Braga em todas às sextas.

Nas últimas semanas, todos nós que amamos futebol vimos o jovem time do Ajax encantar o mundo na Liga dos Campeões. Eliminou o atual tricampeão europeu Real Madrid, a Juventus de Cristiano Ronaldo e venceu o Tottenham (um dos times que mais me agrada na Europa) em plena Londres na semifinal. Aí, abriu 2×0 no jogo da volta, em casa, dando show. E desandou… O time do ex-são paulino David Neres tomou uma virada inacreditável, com gol nos acréscimos dos acréscimos, com atuação de Messi e hat trick de outro ex-Tricolor, Lucas Moura. E o sonho do título virou uma gigantesca frustração. Teve protesto, caça às bruxas, queda de técnico, enfim, crise? Nada!!! Teve sim uma torcida orgulhosa de seus garotos, que foram muito mais longe do que poderiam imaginar no início da competição.

E o São Paulo?

E aí, você, amigo que está lendo esta coluna, pergunta: tá, mas o que o São Paulo tem a ver com isso? Eu diria que tem tudo a ver. Da mesma forma que o Ajax, o São Paulo resolveu (finalmente!) apostar forte na sua base. Valorizar jovens talentos formados em Cotia no time titular, tal qual o time holandês faz com frequência. As razões também são parecidas: além de serem clubes de base tradicionalmente muito forte, estão em desvantagem em relação a rivais com muito mais poderio financeiro na hora de contratar. Só que essa aposta na garotada exige uma contrapartida: apoio incondicional. Sim, porque o São Paulo tem potencial até para ser campeão brasileiro já em 2019, mas por outro lado pode desandar em alguns jogos e até mesmo na competição. Pode acontecer, são jovens ainda em formação. Nesse caso, vão ter apoio incondicional da torcida e da direção ou teremos queda de treinador, queimação de jovens promessas, enfim, coisas do tipo? Ou o exemplo que nos deu o Ajax de que este é sim o caminho certo vai ser levado em conta? Aos holandeses, restou uma dolorida eliminação por falta de experiência, mas também a certeza de que esse time ainda dará muitas alegrias ao clube. No São Paulo, precisamos ter a convicção neste trabalho, aconteça o que acontecer (e vai acontecer), porque a manutenção desse time, com absoluta certeza, nos renderá, cedo ou tarde, uma nova safra de títulos.

Domingo estranho

Enfrentar Rogério Ceni. Taí uma experiência esquisita pela qual passaremos pela primeira vez neste domingo, quando o São Paulo encarar o Fortaleza do Mito no Castelão. Rogério já é ídolo no time cearense, a caminho do terceiro título em um ano e meio, e no São Paulo está acima de qualquer outra questão. Está no olimpo dos maiores nomes da história do clube. As homenagens que estão sendo preparadas pelas duas torcidas, em conjunto, serão o ponto alto do encontro. Se será estranho para nós, não será menos estranho para o ex-camisa 01 tricolor. Quando a bola rolar, idolatria à parte, o São Paulo precisa dos três pontos e fim de papo. Depois que o juiz apitar, a torcida pelo sucesso do Mito no simpático tricolor cearense seguirá, até porque é uma certeza que a história do treinador Rogério Ceni no São Paulo não foi aquela primeira, ainda está por ser escrita.

Constatação

No jogo com o Flamengo, ficou evidente que nos falta centroavante. Como Pablo, titular absoluto e que certamente dará conta do recado, só retorna depois da Copa América, nos resta empurrar com a barriga nestas seis rodadas que restam até a parada do Brasileirão, além dos dois jogos com o Bahia pela Copa do Brasil. Voltaram os boatos sobre Calleri, que eu pessoalmente não acredito. Seria excelente, mas acho que Cuca terá que achar uma solução dentro do elenco mesmo.


Rodrigo Braga. Tenho 40 anos, sou um paulista, paulistano e são-paulino radicado em Santa Catarina, onde há mais de 20 anos atuo como jornalista. Fui editor de esporte e participei de coberturas de Copa do Mundo, Jogos Pan-Americanos e outros eventos internacionais. Sou louco por futebol, mas, principalmente, sou louco pelo São Paulo Futebol Clube.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Divulgação






Comente com sua conta do Facebook: