Alexandre Mattos, empresário de futebol

O empresário Alexandre Mattos concedeu uma descontraída entrevista ao programa Central do Mercado, do Globo Esporte. Entre algumas resenhas de bastidores, Alexandre contou o interessante caso de quando retirou o meia palmeirense Raphael Veiga praticamente de dentro do São Paulo.

Sabe um jogador que tirei de dentro do rival? Mas esse foi de dentro. Esse estava indo mesmo para o rival: Raphael Veiga. Estava praticamente acordado com o São Paulo. Eu o vi jogando em um Atlético-MG x Coritiba em que ele jogou para caramba. Entrei na internet, vi quem era o empresário e liguei. Ele me disse que estava muito próximo do São Paulo e que seria difícil reverter. Preguntei se já estava assinado. Na negativa, disse que ele então poderia me escutar“, relatou Mattos.

O empresário apontou que muitas críticas direcionadas a ele pelo fato de contratar muitos jogadores seriam injusta. E que, quando isso ocorre com gigantes europeus, tal qual o Real Madrid, a situação é amenizada ou vangloriada.

Isso é uma coisa que me chateava. Eu falava muito na época que estávamos fazendo um Palmeiras para o futuro. O fato de contratar muito: quando o Real Madrid faz isso, todo mundo aplaude. Se eu tenho dentro do orçamento isso, calma! Isso não é da minha cabeça. É do financeiro, do CEO, do presidente, do analista de desempenho… Pensando no futuro. E o futuro chegou. Olhem o Veiga hoje aí“, explicou ele.

A análise de Mattos era de que Veiga ainda não estava pronto. Por isso, ao retirar o meia das mãos do São Paulo, a ideia seria dar oportunidade de ele amadurecer em outro clube e, depois, voltar para brilhar pelo Palmeiras. E a isca para poder seduzir a ida do jogador para o rival foi o avô, que sonhava em ver o atleta com a camisa do Palestra.

Nós vamos fazer ele ser o camisa 10 do Palmeiras. Mas vamos precisar emprestá-lo para prepará-lo. É difícil achar um jogador, principalmente um camisa 10. Então isso foi pensado, igualmente ao que ocorreu com Wesley. Quando o empresário dele me viu ligando muito, deu-me uma dica: o avô dele era muito palmeirense. E dizia que o sonho era vê-lo jogando no Palmeiras. Ah, meu amigo! Aí foi dentro da criança…“, completou o empresário.

Curiosamente, o meia foi autor de um dos gols que eliminou o São Paulo na Copa Libertadores e ajudou o rival a se tornar tricampeão da América.

Confira o trecho completo da entrevista em que ele detalha toda a situação clicando aqui.

Post anteriorAtitudes extracampo fazem São Paulo desistir de Brian Ocampo
Próximo PostNáutico investe em atletas formados em Cotia
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.