Semana decisiva para muitos

Teremos uma semana decisiva no São Paulo com a preparação para o clássico contra o Corinthians no próximo sábado em Itaquera pela 33ª rodada do Brasileirão.

Depois do empate do último domingo com o Flamengo, e a 4ª colocação que garante vaga direta na fase de grupos da Libertadores, ameaçada com o Grêmio se aproximando, a pressão aumenta.

O técnico Diego Aguirre vem sendo cobrado por torcedores e alguns dizem que também na diretoria, por sua falta de ousadia e alterações insistentes que recuam o time e nos faz perder pontos.

Alguns jogadores também caíram muito de rendimento e parecem demonstrar problemas comportamentais, perdendo suas condições de titular na equipe.

Muitos reclamam a ausência de Nenê e Arboleda no time titular e especialmente o camisa 10, demonstra insatisfação com a situação.

Gestão de equipe, disciplina ou resultados?

Com esses episódios, temos visto que principalmente Nenê, vem sendo encostado, por preferência de Aguirre.

Se existe algum episódio de indisciplina e uma necessidade de correção, não nos cabe aqui avaliar, pois não estamos no dia a dia ou temos conhecimento sobre qualquer situação que tenha ocorrido.

A pergunta que fica é: Até que ponto vale cuidar da disciplina , em detrimento aos resultados que poderiam ser melhores, se o camisa 10 estivesse em campo?

Vale lembrar aqui, que o meia já vinha de uma sequência de más atuações e isso pesou na opção de Aguirre em colocá-lo no banco. Nas substituições, Nenê demonstrou irritação e, no último jogo, deixou o Morumbi antes de todos.

Reação exagerada ou vontade de vencer?

Podemos enxergar as reações de Nenê como indisciplina, que pode dar um mau exemplo a outros no elenco, minando a autoridade do treinador ou uma reação genuína pela vontade de colaborar mais.

Muitos dos nossos leitores entendem que Nenê não pode sair do time sob nenhuma hipótese, enquanto uma parcela entende que o meia faz corpo mole e birra.

Qualquer que seja a leitura, isso demonstra como o treinador perdeu o comando da equipe e sua vida não deve ser longa no comando do elenco.

Demissão novamente?

Se todas as especulações sobre indisciplina forem reais, vemos aqui como algumas peças podem derrubar um treinador e interromper um trabalho.

Entendo que Aguirre não se ajuda e sua falta de leitura dos jogos, implica em más substituições (embora em algumas, ele não teve opção). Repetir esquemas ou escalações que não funcionam, atestam sua teimosia.

Por outro lado, seria um atestado de que treinadores no São Paulo tem vida curta e são reféns do elenco. Basta um choro ou reclamação e cai um treinador, contratando outro às pressas e já com pressão por resultados.

Tem sido assim desde 2009, quando Muricy saiu e somente ele (em 2014-2015) e Ney Franco (2012) conseguiram completar uma temporada completa no comando da equipe.

Filme repetido

Já comentei em outro texto aqui no ano passado, como a mesma fórmula do insucesso vem se repetindo ano a ano:

Começamos o ano com a Copinha, onde nosso time detona os mais fracos, mas perde as decisões, assistindo rivais ganhando o título. Passamos pelo Paulistão, no qual deixamos de ver jovens tendo chances e o time principal goleia pequenos na primeira fase, passa pelo primeiro mata-mata com algum clube do interior e é eliminado na semifinal por algum rival (não chegamos na final do Paulista desde 2003).
A gestão do SPFC diz que a prioridade é a Copa do Brasil, então iniciamos com vitórias e classificações nas primeiras fases, mas nosso caminho é interrompido quando pegamos algum duelo com equipes grandes.
Neste período do ano, o elenco é reformulado, ou o treinador é demitido, mas a gestão continua, e vamos para o Brasileirão e (com exceção a 2014), jogamos como coadjuvantes e no máximo, brigamos por uma vaga na Libertadores ou na metade de baixo da tabela.

Opinião postada em novembro de 2017

Pelo jeito, veremos esse filme novamente já que alguns jogadores e treinador não se entendem mais, enquanto nossos resultados vão piorando a cada rodada.

Se há crise ou conflito entre jogadores e Aguirre, cabe à diretoria de futebol intervir e mostrar que o prejudicado nisso tudo é o São Paulo FC, que é maior que qualquer jogador ou treinador.

Desavenças pessoais podem ou não ter uma resolução, mas o que não pode acontecer, é os objetivos do clube serem prejudicados.

Aguirre, Nenê ou quem quer que seja: Resolvam-se nessa semana! Definam como vocês vão ajudar o São Paulo a vencer esse jogo de sábado, ou então, esse pode ser o começo do fim da passagem de vocês.






Comente com sua conta do Facebook:
Você já conhece a Loja do Arquibancada? Modelos exclusivos para você mostrar o seu amor pelo Tricolor!

Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor

Leave a Reply