#ColunaAT – Precisamos falar de Reinaldo: muita encrenca e pouco futebol

Caros Tricolores, Tri-Campeões Mundiais. É isso. Temos que conversar a respeito do nosso lateral-esquerdo, Reinaldo. O camisa 6 teve mais uma atuação nula, no que tange o aspecto técnico. Em compensação, é incrível como ele é protagonista e tem seu nome sempre citado quando há uma roda de brigas no campo.

Há algum tempo, principalmente na queda de rendimento do Tricolor em 2018, após liderarmos o Brasileirão sob o comando de Aguirre, Reinaldo parece estar sempre de cabeça quente. Toda hora discute com bandeirinhas, árbitros e adversários.






Na última partida, diante do Flamengo, não foi diferente. Reinaldo levou diversas broncas do árbitro em questão e jogou pouco. Atuação apagada, cruzamentos e cobranças de escanteio sempre sem eficiência marcaram a sua partida.

Quando está com a cabeça no lugar e evita inventar o que não sabe, Reinaldo sabe jogar bem e ajuda muito o grupo, já que tem um cruzamento eficiente, mas acredito que já é hora de Cuca pensar em um reserva e Léo seria o substituto imediato.

Porém, eu faria diferente: utilizaria Liziero na lateral, mas apenas quando Luan retornar. Liziero já atuou na lateral-esquerda ainda na base, sob o comando de André Jardine e sempre se saiu muito bem.

Com isso, Liziero e Hudson jogariam nas laterais, e Luan faria dupla com Tchê Tchê no meio-campo. A vantagem seria a versatilidade de todos, já que, com exceção de Luan, os outros três possuem experiência na lateral, afinal, Tchê Tchê já jogou de lateral-direito no Palmeiras, sob o comando de Cuca.

Desta forma, eu escalaria o São Paulo desta maneira:

Volpi; Hudson, Arboleda, Bruno Alves e Liziero; Tchê Tchê, Luan e Hernanes; Antony, Pato e Toró.

Obviamente, essa escalação seria utilizada após o retorno de jogadores lesionados e, talvez, substituiria Toró por Pablo.

Comente com sua conta do Facebook: