Foto: Twitter / Conmebol

Todo são-paulino se lembra da campanha do São Paulo na Libertadores de 2016. Após um começo desacreditado, o Tricolor chegou às semifinais com pinta de campeão, mas acabou sendo eliminado pelo Atlético Nacional – perdendo, inclusive, o jogo do Morumbi. Contudo, naquele ano, o time da base conseguiu um feito inédito: foi campeão da Libertadores sub-20 sem nenhuma derrota.

A competição foi disputada no Paraguai e contou com a participação de 12 clubes, divididos em 3 grupos. O time do técnico André Jardine caiu no grupo B, ao lado de Libertard, Melgar e Independiente Del Valle. O Tricolor passou em primeiro do grupo e, nas semifinais, despachou o Lanús vencendo de virada por 3×2. Na final, o São Paulo venceu o Liverpool do Uruguai por 1×0, com gol de Lucas Fernandes aos 38 do segundo tempo, e sagrou-se campeão.

Foi a primeira vez que um clube brasileiro conquistou a Libertadores sub-20.

Campanha na Libertadores sub-20:

FASE DE GRUPO

São Paulo 1×1 Libertad

São Paulo 8×0 Del Valle

São Paulo 3×0 Melgar

SEMIFINAL

São Paulo 3×2 Lanús

FINAL

São Paulo 1×0 Liverpool-URU

Confiram onde estão hoje os campeões da Libertadores sub-20:

1- LUCAS PERRI: o goleiro continua vinculado ao São Paulo. Este ano, contudo, acabou sendo emprestado ao Náutico e deve disputar a série B pelo time pernambucano.

2- FOGUETE: o lateral, que iniciou a carreira na base do Vasco, não teve muitas oportunidades no time principal do São Paulo. Após ser seguidamente emprestado, hoje ele está no Japão, jogando pelo Kagoshima United, e não tem mais vínculo com o Tricolor.

3- IAGO MAIDANA: zagueiro envolvido na polêmica que tirou o presidente Aidar do poder no clube, lago pertence ao Atlético Mineiro e foi emprestado ao América-MG para a temporada de 2022.

4- LUCAS KAL: o jogador encerrou seu vínculo com o São Paulo e assinou em definitivo com o América-MG para a disputa da pré-Libertadores e do restante da temporada.

5- INÁCIO: o lateral foi cedido ao Porto como forma de o São Paulo compensar a permanência do zagueiro Maicon. Ele ainda possui vínculo com o time português, mas recentemente foi emprestado ao Guarani e ao Penafiel.

6- BENGUELÊ: o volante, de muito vigor físico, foi emprestado ao Louletano de Portugal. Sem vingar, o atleta passou por pequenos clubes, como o Jacuipense-BA e hoje está no Juventus-SC.

7- ARTUR: o volante estava atuando na MLS e foi adquirido em definitivo pelo Columbus Crew, onde permanece até hoje.

8- LUCAS FERNANDES: autor do gol que deu o título ao São Paulo, o meia foi vendido em 2019 para o Portimonense, de Portugal.

9- DAVID NERES: um dos destaques do time, o atacante fez pouquíssimos jogos no time principal e foi logo vendido ao Ajax, da Holanda. Em uma dessas partidas, marcou seu primeiro gol como profissional no Majestoso que o São Paulo venceu por 4×0.

10- LUIZ ARAÚJO: o atacante chegou aos profissionais e, mesmo muito jovem, conseguiu certo destaque no time comandado por Ceni. Ele acabou sendo vendido ao Lille, da França, mas hoje atua na MLS, mais precisamente no Atlanta United.

11- PEDRO: com poucas oportunidades no São Paulo, o atacante Pedro Bortoluzo foi emprestado por muitas temporadas. Atuou no Paraná, no Guarani, no Criciúma e, atualmente, disputa a liga da Singapura pelo Hougang United.

12- SHAYLON: o meia era tido por Rogério Ceni como jogador de futuro. Todavia, apesar das oportunidades, Shaylon não conseguiu demonstrar um futebol convincente e deixou o São Paulo em 2021. Atualmente está sem clube.

13- FELIPE ARARUNA: o volante teve algumas oportunidades no São Paulo, mas não vingou. Foi emprestado ao Fortaleza e, atualmente, defende o Reading, da Inglaterra.

ANDRÉ JARDINE: o técnico chegou a assumir o São Paulo, mas, após ser eliminado na pré-Libertadores pelo Talleres, acabou sendo demitido. O treinador, então, ocupou funções na Seleção Brasileira de base e comandou a Seleção Olímpica na conquista da inédita medalha de ouro nos jogos de 2020.

Post anteriorSão Paulo x CSE-AL: provável escalação, onde assistir e ficha técnica
Próximo PostSão Paulo terá 4 desfalques na estreia da Copinha
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.