A base do São Paulo é forte, mas é preciso saber usá-la

Denílson, Kaká, Lucas Moura, Casemiro, David Neres são apenas alguns atletas formados na base do São Paulo e que podemos citar como exemplos de grandes jogadores. Desses citados acima apenas David Neres não chegou a ganhar ao menos um título com o time profissional, até porque atuou em poucas partidas, mas também foi muito vitorioso nas categorias de base.

Um dos problemas, dos muitos, que o São Paulo enfrenta nos últimos anos é não conseguir segurar as suas joias formadas em Cotia, vendendo de maneira precoce e muitas vezes não aproveitando o melhor que esses atletas poderiam apresentar. Muitos fatores envolvem essas situações, a própria vontade do atleta e o alto poderio financeiro dos times de fora, mas um planejamento por parte do time Tricolor faria a diferença nesses casos.

Utilizar a base é preciso, mas com inteligência e estratégia, e isso faz parte da história do São Paulo. No entanto, o momento vivido pelo clube nos últimos anos tem sido complicado e dificulta na hora de dar tempo para que esses jovens jogadores consigam se desenvolver no time profissional, pois a urgência por bons resultados e títulos é latente.

O Tricolor vem de um momento crítico. Em 2020, já sofreu duas duras eliminações, nas quartas de final do Paulistão e na fase de grupos da Libertadores, precisando se reestabelecer para construir uma boa sequência no Campeonato Brasileiro e obter bons resultados nas competições que se seguirão como a Copa do Brasil.

No jogo de ontem contra o Atlético Goianiense em partida válida pela 14ª rodada do Brasileirão, o São Paulo vinha de 7 jogos sem vitória, tomando gols nos últimos 10 confrontos e precisando muito de um bom resultado, que veio graças aos meninos da base.

Claro, futebol é coletivo, mas não dá para não destacar Brenner e Gabriel Sara.

Brenner se posiciona bem e vem fazendo um bom 2020, já marcou gols contra o Corinthians e Fluminense e, agora, dois contra o Dragão. Já Gabriel Sara, muito contestado, marcou duas vezes contra o Santos e ontem participou de todos os gols de maneira direta, deixando também o dele.

Destaco também o volante Luan que deu mais segurança para o sistema defensivo do São Paulo e já deveria ter voltado a muito tempo ao time titular devido as suas características de marcação e por ser um jogador regular. Ontem fez uma boa partida e é outra joia de Cotia.

Quase ia me esquecendo de Diego Costa, um jogador de personalidade, formado em Cotia, multicampeão na base, capitão e líder, que parece que joga no profissional há anos. Pra mim, titular absoluto ao lado de Bruno Alves na zaga do São Paulo.

Na estreia da Copa do Brasil contra o Fortaleza no empate por 3×3, mais uma vez Gabriel Sara e Brenner brilharam. O meio-campista participou das jogadas dos três gols do Tricolor no jogo e o atacante marcou dois deles.

Alguns outros não estão entregando o esperado como Igor Gomes que também é um garoto formado na base do clube e desde que retornaram as competições tem deixando a desejar. É um jogador que tem potencial, mas está precisando evoluir.

Olhando para Cotia atualmente podemos nos manter animados e na expectativa de que em breve novos grandes jogadores poderão aparecer no time profissional. Citarei apenas quatro: Lucas Sena (lateral-direito), Welington (lateral-esquerdo), Galeano (atacante) e Vitinho (atacante).

Galeano está emprestado ao São Paulo e é destaque na base já há algum tempo. Marcou três gols na vitória Tricolor diante do União ABC pela Copa do Brasil Sub-20 e contra o América Mineiro na derrota por 2×1. O paraguaio já chegou a treinar com a equipe profissional.

Os demais citados vem fazendo bons jogos com a equipe sub-20 que, atualmente, disputa o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil da categoria, vale ficar de olho.

Enfim, que os garotos da base continuem a colaborar com o São Paulo e possam ser aproveitados com inteligência dentro de campo antes de serem vendidos. Não que se deva colocar todas as esperanças apenas nos jovens jogadores, pois os medalhões do time precisam colaborar com a parte da experiência e também render dentro de campo.

É preciso equilíbrio e que todos consigam jogar com vontade, raça e na busca de bons resultados e títulos para o São Paulo.

*A opinião do colunista não reflete a opinião do site

Foto: Rummens

Comente com sua conta do Facebook: