Foto: Reprodução / Conmebol

Mudança na formação e na característica do ataque explicam os três gols marcados na Argentina

O São Paulo tem problemas ofensivos. A equipe conta com pouca quantidade de atacantes e estes passam por alguns problemas ao longo dessa temporada.

Luciano não consegue sequência de jogo e é recorrente no departamento médico. Éder emplacou alguns jogos mas também está no DM.

Pablo e Vitor Bueno não conseguem emplacar. Os dois sofrem com a falta de confiança e não conseguem entregar boas partidas e nem gols para a comissão técnica.

Dos atacantes, o jogador mais regular é Rigoni, porém, na última semana o jogador preocupou a torcida, já que esteve lesionado mas voltou a tempo para ajudar a equipe a vencer o Racing.

Ataque deslancha na hora certa. Equipe marca 3 gols após 11 jogos
Foto: Reprodução / Conmebol

Para essa partida, o treinador Hernán Crespo colocou o jovem Marquinhos no jogo e o garoto correspondeu. O menino de Cotia participou ativamente dos três gols da equipe e compôs uma dupla de ataque de qualidade.

Essa dupla de ataque foi responsável por quebrar um mini-tabu da equipe. Nos últimos 11 jogos, o São Paulo não conseguia marcar mais que dois gols em uma partida. A sequência teve: Atlético-MG, Chapecoense, Santos, Cuiabá, Ceará, Corinthians, Red Bull Bragantino, Internacional, Bahia, Racing (jogo de ida) e Fortaleza.

O ataque vinha funcionando com regularidade no Paulistão. Nos 15 jogos, foram 38 gols, porém, desde o começo do Brasileirão, a equipe não conseguia entregar mais gols.

A equipe ainda não deve ter Luciano na próxima partida (contra o Flamengo), porém, a torcida pode criar expectativa, já que nos últimos jogos são sete gols em cinco partidas.

Post anteriorA história continua. Miranda segue brilhando no São Paulo
Próximo PostUm flerte e um “não”, Hernanes segue com futuro indefinido após deixar o São Paulo
Pedro Vinicius, 24 anos e sou de São Paulo. Formado em jornalismo e especialista em jornalismo esportivo sou apaixonado por futebol desde sempre.