Com Aguirre, base deve ter mais espaço

Após o anúncio de Diego Aguirre como novo comandante Tricolor, os jogadores do São Paulo podem ter uma certeza. Todos serão bastante utilizados, pois o uruguaio é adepto do rodízio.

Quando passou por Internacional e Atlético Mineiro, utilizou cerca de 40 jogadores durante sua passagem. Isso demonstra que os jogadores da base menos utilizados como Bissoli, Paulo Henrique, Pedro e Lucas Fernandes podem ser aproveitados com maior frequência.






O elenco são-paulino conta hoje com 30 jogadores de linha e 4 goleiros, isso sem contar que Igor Gomes, Toró, Helinho e Luan ainda podem subir para o profissional, e Liziero já está entre os principais. Se os garotos forem realmente integrados, serão em torno de 40 atletas.

Como o ano é longo e lesões podem ocorrer, além das convocações de Rodrigo Caio, Cueva e Arboleda, precisamos detectar as peças que podem substituir os titulares sempre que possível.

Em relação aos goleiros, temos dois em pé de igualdade pela posição: Jean e Sidão, e duas promessas, Lucas Perri e Lucas Paes. As laterais têm Militão improvisado, o desgastado Bruno e deve ter o recém-chegado Régis. Na esquerda, Reinaldo, Edimar e Júnior Tavares, além de Liziero que pode atuar pelo setor. Na zaga, os selecionáveis Arboleda e Rodrigo Caio, o bom Anderson Martins, Bruno Alves e Aderllan, que atuou bem contra o Red Bull Brasil e deve ganhar mais oportunidades.

Na volância tem Petros, Jucilei e Hudson, em pé de igualdade pela titularidade. Araruna, um degrau abaixo e os garotos Pedro e Paulo Henrique podem ganhar mais oportunidades. Na armação, além de Cueva e Nenê, tem a possibilidade de Diego Souza atuar pelo setor, sem contar com os garotos Shaylon e Lucas Fernandes (este com raras aparições este ano). Vale lembrar que Liziero pode atuar nas duas funções no meio-campo.

O ataque conta com Diego Souza, Marcos Guilherme, o xodó Valdívia, Tréllez, Morato (que volta de longa ecuperação) além dos garotos Caíque, Brenner, Paulinho Bóia e Bissoli. Os dois primeiros devem ganhar mais oportunidades por Aguirre, enquanto os outros dois vão precisar de jogos considerados mais “tranquilos”.

Fato é que, Aguirre tem qualidades no elenco, é bom treinador e o rodízio pode ser o caminho, para evitar que medalhões fiquem de bico. Sem contar que a base será valorizada. Importante frisar que com Jardine trabalhando no time de cima, os garotos terão mais espaço e Aguirre já trabalhou com Jardine, inclusive, sendo o responsável por promover Valdívia e Rodrigo Dourado ao time profissional do colorado em 2015.

Os dois trabalhando em conjunto, com um esquema de jogo bem definido e o bom elenco montado, faz-nos sonhar com um 2018 bem melhor.

Por Victor Vasques

Comente com sua conta do Facebook:

Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor