Cueva: entre a 10 e a espada

O que o craque peruano nos reserva para o futuro São Paulino após o mundial?

Nosso camisa 10, que teve um descontentamento com a torcida no início da temporada, mostrou-se arrependido após marcar de pênalti contra o Botafogo-SP, em fevereiro passado.

Muito encarecidamente, pediu desculpas ao torcedor em um gesto singelo, unindo as mãos, buscando reconciliação com a grande massa. “Agora vai!” pensamos nós, tendo em vista que o peruano fez ótimas atuações com o manto Tricolor, em pouco menos de dois anos de casa, com gols e dribles, cumprindo parte do pacote comprado pelo São Paulo por quase 9 milhões de reais.

Entre altos e baixos na temporada passada, Cueva terminou o ano como líder de assistências do tricolor, também balançando as redes 10 vezes. Desde sua chegada deixou sua marca 20 vezes em 89 jogos, além de servir nossos atacantes em mais 20 oportunidades, números bastante razoáveis de acordo com o potencial esperado do meio campo.

Dividindo as câmeras com Guerrero, partiram para a Rússia!

Christian Cueva poupou-se durante um bom período antecedente à Copa do Mundo, para ter um melhor desempenho, vide a hipótese do São Paulo em vender o meia para suprir a necessidade de abastecer os cofres.

Enquanto Paolo Guerrero era o principal responsável por encaminhar a seleção de volta à copa após 36 anos, Cueva seguia como coadjuvante durante as eliminatórias, marcando um gol importante contra a Bolívia na vitória por 2 a 1. Passaporte carimbado, ‘vamo Peru’!






Nas duas primeiras partidas, ele não teve uma atuação digna de holofotes, desperdiçando um pênalti que custou a derrota da equipe sul-americana diante da Dinamarca na estreia.

Com uma atuação mais notável contra a Austrália, Cueva foi às lágrimas ao final da partida. O camisa 8 do Peru, encerrava sua participação na tão sonhada Copa do Mundo na Rússia, juntamente com Guerrero, Trauco, Gareca e companhia, além dos milhares de sul americanos que povoaram a terra de Pútin.

‘Volverá o partirá’?

O 6º jogador mais valioso de seu país tem um valor de mercado de aproximadamente 3 milhões de euros, o que renderia, pelo menos, o mesmo valor pago pelo São Paulo em sua compra. Desde a saída de Paulo Henrique Ganso (que também passou por momentos e momentos) o Tricolor carece de um meia de criação com características semelhantes, mas que permaneça firme e nos leve às glórias que temos de costume.

O São Paulo já recebeu propostas do Besiktas, Porto e ricas equipes árabes pelo meia, que em decisões conjuntas com a diretoria, decidiu permanecer conosco. Agora após uma tentativa frustrada de brilhar em território Russo para alçar novos voos, o peruano volta à Barra Funda para resolver seu futuro.

Lugano afirmou que deseja a permanência do meia, porém os torcedores seguem divididos em relação a Christian Alberto Cueva Bravo.

E você torcedor, o que acha?

Comente com sua conta do Facebook:

Confira outras notícias no Arquibancada Tricolor