Mauro Cezar Pereira, no Uol Esportes
Foto: Reprodução

O jornalista Mauro Cezar Pereira analisou, no canal do UOL Esportes no Youtube, quais seriam os confrontos mais perigosos do sorteio da Copa do Brasil. Em sua visão, os dois times considerados grandes que mais têm risco de cair na primeira fase são Grêmio e São Paulo. O Tricolor enfrenta o Campinense, da Paraíba, fora de casa, no primeiro confronto.

De acordo com Mauro Cezar, o fato de o time passar por uma reformulação nestes tempos seria um risco considerável que pode levar a um rendimento não esperado no mata-mata da Copa do Brasil. Para que o Campinense passe de fase, seria preciso vencer o jogo – pois, em jogo único e melhor ranqueado na CBF, o São Paulo tem a vantagem do empate. O jornalista acha isso possível, dadas as circunstâncias.

Também corre risco (de cair) o São Paulo, que passa por uma reformulação. O time, ainda sem conjunto, vai enfrentar o Campinense, que já ganhou Copa do Nordeste, um time tradicional e de muita torcida, de Campina Grande, na Paraíba. Pode também ser um jogo bem perigoso, bem complicado“, disse o jornalista.

Reformulação apontada por Mauro Cezar no São Paulo

A reformulação do São Paulo de que trata Mauro Cezar começou no final da temporada passada. O time do Morumbi contratou cinco jogadores – Rafinha, Patrick, Nikão, Jandrei e Alisson – e continua ativo no mercado, mas apenas para oportunidades viáveis. Saíram do clube Orejuela, Benítez e Bruno Alves, justamente para o Grêmio, além de Rojas, Galeano, Liziero, Lucas Perri, Shaylon e William. Ainda podem deixar o time os atacantes Pablo e Vitor Bueno.

Confira abaixo o vídeo com a opinião de Mauro Cezar. Ou clique aqui.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorJandrei explica porque trocou o Santos pelo São Paulo
Próximo PostCogitado no São Paulo, zagueiro Lucas Ribeiro acerta com o Ceará
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.