São Paulo acerta concessão de uso do CT da Barra Funda por mais 40 anos
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Na manhã desta terça-feira (28), o presidente Julio Casares se reuniu com o atual prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, e assinou o contrato que permitirá o uso do espaço do CT da Barra Funda por mais 40 anos. As concessões de uso de bem público são seguidas de atendimento a fins sociais e, por isso, a assinatura de ratificação previu que o São Paulo deveria construir duas creches, em locais que serão indicados por órgãos da prefeitura.

Pela utilização do espaço, o Tricolor se comprometeu a contribuir para o bem social e da qualidade de vida da comunidade paulista – uma das formas de prestigiar o que determina a Constituição Federal no que diz respeito ao atendimento da finalidade das propriedades. É que as concessões de espaço público devem sempre resguardar interesses sociais, como é o caso da educação infantil – privilegiada com a construção das creches.

Esses encargos de construção das creches se referem aos primeiros 40 anos de estadia do Tricolor na localidade. Para a próxima quarentena, outras contrapartidas de bem-estar social devem ser responsabilizadas ao São Paulo. O prefeito buscou pormenorizar o assunto, valorizando a importância do cumprimento da função social da propriedade – um dos fundamentos da Constituição vigente.

É muito importante estar aqui, como prefeito, junto com o Presidente Julio Casares. Assinamos o termo que amplia a concessão de uso da área, por 20 anos renováveis por mais 20 anos. Portanto, esse espaço importante onde o São Paulo desenvolve suas atividades vai poder ser utilizado, e bem utilizado, por mais 40 anos. O São Paulo fará a construção de duas creches, em uma ação social muito importante. Estamos felizes pela parceria, fortalecendo os laços entre Prefeitura e Clube“, disse o mandatário público.

Ciente das responsabilidades para com a comunidade ao seu redor, o presidente do São Paulo, Julio Casares, ressaltou os benefícios do contrato de comodato com a municipalidade.

O São Paulo assume neste ato a construção de duas creches, o que nos dá muita alegria. Como instituição, é muito importante ver os movimentos sociais da cidade que têm direcionamento e foco junto às comunidades. Temos o benefício do comodato, mas também daremos uma contrapartida importante para a sociedade paulistana“, explicou Casares.

O contrato entre o São Paulo e a prefeitura terminaria em 2023. No entanto, em fevereiro, o ente público já havia arquivado o processo que poderia cancelar a concessão da área do Centro de Treinamentos da Barra Funda.

Post anteriorPresidente do Ceará promete esforço por Pablo: “Cairia como uma luva”
Próximo PostSão Paulo ignora dificuldades e não descarta Soteldo
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.