Jornalista compara Palmeiras atual com São Paulo de Telê
Foto: Acervo / saopaulofc.net

Em 21 de abril de 2006, o Mestre Telê Santana nos deixava após ficar internado três meses no hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte, devido a uma infecção abdominal. Telê veio à óbito por falência múltipla de órgãos às 11h50 daquele dia.

No dia anterior, as quase 22 mil pessoas que estiveram no Morumbi para acompanhar a vitória do São Paulo sobre o Caracas por 2 a 0 pela última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, encheram seus pulmões para gritar a alto e bom som: “Olê, olê, olê, olê…Telê, Telê!”. O mestre recebia a sua última homenagem em vida.

Veja também:
A entrevista de Telê Santana ao Roda Viva em 1992

Para sua segunda passagem pelo time do Morumbi, Telê chegou em 1990, naquela que seria uma década histórica para ele e para o clube. Dentre as maiorias conquistas estão as Libertadores e os Mundiais de 1992 e 1993, que colocaram o São Paulo como time reconhecido internacionalmente e partir de então.

Até 1996, foram dez títulos conquistados pelo Mestre Telê Santana ao todo, e são eles: Campeão Mundial Interclubes 1992 e 1993; da Taça Libertadores da América 1992 e 1993, da Supercopa Sul-Americana de 1993; da Recopa Sul-Americana de 1993 e 1994, do Campeonato Brasileiro de 1991 e do Campeonato Paulista de 1991 e 1992.

Confira também esse trecho de uma matéria quando o São Paulo foi tricampeão mundial e a alegria de Telê Santana com a conquista. Veja abaixo ou clicando aqui.

No ano passado, o São Paulo divulgou uma homenagem ao Mestre, confira abaixo ou clicando aqui:

A gratidão de nós, são-paulinos, é para sempre e o legado é eterno de quem colocou o Tricolor em outro patamar e marcou a história do clube de uma maneira indescritível.

“Atingir a perfeição é impossível. Mas aproximar-se cada vez mais dela, não” – Telê Santana

#PraSempreTelê

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anterior“Não fizemos absolutamente nada”, diz Rogério sobre o primeiro tempo em Caxias do Sul
Próximo PostRogério explica como tentou fazer André Anderson atuar ao lado de Nestor
Um dos fundadores do Arquibancada Tricolor, fã do M1TO Rogério Ceni e amante do bom futebol. Tenho perdido algumas horas de sono vendo NBA e NFL.