Souza revela episódio conturbado entre Cuca e Ceni
Foto: Reprodução

Durante sua participação no podcast Os Reis da Resenha, com Thiago Asmar, o “Pilhado”, e Vampeta, o ex-jogador do São Paulo Souza contou bastantes histórias da época em que jogava no clube. Uma dela, todavia, chamou a atenção pelo fato de ser um confronto pesado entre dois personagens do elenco: o então técnico Cuca e o à época goleiro Rogério Ceni.

De acordo com Souza, a celeuma se deu por ocasião de um desentendimento no rachão ocorrido entre Ceni e Omar Feitosa. Ao tentar fazer as pazes entre ambos, Cuca acabou sendo extremamente ríspido com o arqueiro – em uma situação que ele considerou deveras humilhante.

Os dois já tinham conversado. Só que Cuca queria mostrar para o grupo todo que estava tudo resolvido. Ele pediu que Rogério falasse com Omar, mas Ceni se mostrou contra, por já estar tudo resolvido. Cuca insistiu para que Rogério desse um abraço em Omar Feitosa na frente do grupo, mas ele não queria. Rogério não foi, e aí Cuca o xingou feio. E disse: ‘Por isso que ninguém gosta de você aqui dentro. Por isso que todo mundo fala que você faz isso e aquilo com o treinador. Agora vá lá no Juvenal e peça para ele me mandar embora’. Foi uma humilhação. De verdade, qualquer ser humano em sã consciência sairia no tapa naquele dia. Ceni abaixou a cabeça e foi fazer o trabalho dele, que era treinar. Não sei como ele conseguiu jogar no outro dia. Essa história, para mim, marcou muito e me mostrou que Rogério tem um controle emocional ferrado“, explanou Souza.

Confira a história completa no vídeo abaixo. Ou clique aqui.

Tudo sobre o Tricolor!

Siga o Arquibancada Tricolor em suas redes sociais e acompanhe tudo sobre o São Paulo FC:

Instagram | YouTube | Twitter | Canal no Telegram | Conheça a nossa Loja

Post anteriorConfira a estratégia do São Paulo para “driblar” a altitude de Cochabamba
Próximo PostCalleri no Boca?! Jornal argentino destaca entrevista de Calleri que animou torcedores por retorno
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.