Foto: Reprodução / Premiere

O atacante Pablo vive uma situação bastante complexa no Tricolor. O jogador, que é a maior contratação da história do clube, já recebeu propostas concretas, mas tem vontade de permanecer. Ou seja: a vontade do jogador, nesse caso, vai de encontro à do clube. Artilheiro do time na temporada passada com 13 gols, pesa contra Pablo o custo benefício e a irritação da torcida com a quantidade de gols “fáceis” perdidos – a exemplo dos decisivos contra Fortaleza e Palmeiras, além do contra o Red Bull Bragantino, que chegou a repercutir na Europa.

O presidente do São Paulo, Julio Casares, teceu muitos elogios ao camisa 9 recentemente. Porém, ainda assim, deixou bem claro que ninguém na equipe é inegociável. Não à toa, o Tricolor tentou envolvê-lo nas negociações que teve recentemente com Grêmio e Internacional, além de avaliar e aceitar as condições ofertados pelo Ceará – que foram frustradas pelo jogador por ignorar as investidas do Vozão. Isso inclusive, irritou bastante a torcida.

O Pablo é um bom cidadão, um grande atleta, que contribuiu muito com o título do Paulista e está à disposição, assim como outros jogadoresMas ninguém é inegociável“, afirmou Casares, em reprodução do site Torcedores.com.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o diretor de futebol Carlos Belmonte explicou o que ocorreu na tratativa com o time cearense.

O Ceará nos procurou e tinha a intenção de contar com o Pablo. Ele é um jogador importante do nosso elenco. Ele teve um ano um pouco mais difícil, mas foi artilheiro do São Paulo. Ele é um excelente profissional que cumpre todas as suas obrigações do ponto de vista de treinamento, horários e comportamentos no grupo. Óbvio que iremos analisar propostas que chegarem envolvendo o Pablo, mas levando em conta sempre o que pensa o atleta para decidirmos se ele fica ou sai do São Paulo“, detalhou Belmonte.

O presidente do Ceará achava que poderia recuperar o futebol do jogador, principalmente pelo fato de o técnico do time ser Thiago Nunes – com quem Pablo trabalhou na época do Athletico. Porém, diante do recuo do atleta, Robinson de Castro, mandatário do Vozão, anunciou que estava desistindo da contratação.

A intenção de Pablo Felipe é demonstrar para a diretoria e para a torcida tricolor que o investimento nele feito não foi à toa. Por essa razão, quer permanecer no elenco e fazer a pré-temporada, almejando fazer um ano de recuperação. O grande empecilho para ele tentar concretizar esse objetivo é a grande concorrência: o time conta com Calleri, Rigoni, Luciano, Marquinhos e, agora, Alisson.

Após atuar na partida contra o Corinthians, válida pelo segundo turno do Brasileirão, Pablo acionou um gatilho contratual que aumentou o seu salário e prorrogou o sue contrato até 2023. Estima-se que o salário do atacante gire em torno dos 500 mil reais mensais. Como o São Paulo tem pretensões de enxugar a folha salarial, vendendo atletas caros ou emprestando com salários pagos pelo clube receptor – tal qual Liziero, no Inter -, as negociações se tornam ainda mais difíceis.

Pablo tem 29 anos, custou 26 milhões aos cofres do Tricolor e lidera a lista de dispensas do clube. Porém, com a recusa em sair, é muito provável que permaneça no elenco, tendo em vista que é um ativo importante do clube. Assim, o atleta deve se reapresentar no dia 10 de janeiro, com o restante do elenco.

Post anteriorEder permanece no São Paulo em 2022? Entenda a situação
Próximo PostVeja quais jogadores venceram a Copinha/19 e permanecem no São Paulo
Matheus Tévez é formado em Direito pela UFBA, cursa Letras, além de ser professor, escritor e articulista. Mas a sua grande virtude é ser são-paulino doente desde os tempos em que Válber doutrinava na zaga.