Foto: Rummens

Apesar do fim de ano melancólico, o São Paulo durante a temporada de 2021, principalmente sob o comando do técnico Hernán Crespo, conseguiu apresentar um período de bom futebol que culminou na conquista do título estadual.

Na “era” Crespo, o Tricolor trouxe nove reforços e alguns deles já até deixaram o Morumbi.

Relembre os reforços e veja o desempenho de cada um nessa temporada:

Miranda

O veterano zagueiro retornou ao Morumbi após 11, tem forte identificação com o clube e carinho enorme da torcida. Durante a temporada Miranda teve atuações seguras atuando ao lado de Arboleda e Léo. A defesa foi um dos pontos fortes da equipe, mesmo com a péssima campanha no Brasileiro. Miranda ainda tem mais um ano de contrato e deve continuar como titular absoluto.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Eder

Chegou ao São Paulo após passagem pela China, mas credenciado pelo tempo em que atuou na Europa, onde, inclusive, defendeu a seleção italiana. Esperava-se mais do atacante, que conviveu com lesões, mas que, mesmo quando entrou em campo, não correspondeu a expectativa. Foram apenas cinco gols em 29 jogos, a maioria deles entrando no segundo tempo. Eder tem contrato até o fim de 2022 e um salário considerado alto, seu futuro no clube ainda não foi definido de forma oficial.

Veja também: Vitor Bueno, Pablo e Eder podem ser envolvidos em negociações como “moeda de troca”

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Rigoni

Foi por um bom tempo o melhor jogador do São Paulo na temporada. Chegou em maio, após o Paulistão, e ajudou o time a avançar na Libertadores e na Copa do Brasil. No Brasileiro, destacava-se mesmo em meio à terrível campanha da equipe. Porém, com a saída de Hernán Crespo, o atacante caiu bruscamente de rendimento na reta final da temporada.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Calleri

O argentino, sonhado por temporadas pela torcida após brilhar em 2016, voltou em agosto e não decepcionou. Ainda que tenha tido dificuldades, principalmente por não estar em sua melhor condição física, Calleri conseguiu marcar gols importantes: foram cinco em 16 partidas que ajudaram a salvar o time do rebaixamento. Seu contrato termina somente no fim de 2022, quando o São Paulo terá que pagar 3 milhões de dólares para mantê-lo – uma cláusula obriga o clube a fazer o investimento se, até lá, Calleri atuar em pelo menos 30% dos minutos do time desde sua chegada.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Gabriel Neves

Chegou ao São Paulo junto com Calleri, no meio do Brasileirão, mas ainda não se firmou. Por causa da limitação de cinco estrangeiros por partida, chegou a ser cortado de alguns jogos. É provável que ganhe mais tempo em campo no ano que vem. Foi titular no último jogo da temporada e agradou bastante.

Foto:Rubens Chiri / saopaulofc.net

Orejuela

Chegou com status de titular da lateral-direita, já que Daniel Alves estava atuando no meio de campo. Foi o principal investimento do clube no início do ano, 2 milhões de euros (cerca de R$ 12,6 na cotação atual) por 50% dos direitos.Em campo, decepção. Foram 15 partidas, chances perdidas como titular. Do banco, viu Crespo e Ceni improvisarem jogadores na posição. Tem contrato até 2025, o que dificulta uma saída neste momento, mas o Grêmio já entrou em contato com o São Paulo para um possível empréstimo do lateral colombiano.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Benítez

Fez um ótimo Paulistão, mas não conseguiu continuar no mesmo ritmo durante toda a temporada, muito por conta de problemas físicos. O argentino tinha contrato de empréstimo com o Tricolor que se encerrou em dezembro e não irá permanecer para 2022.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Veja também: Benítez se despede do SPFC: “Foi uma experiência inesquecível”

Bruno Rodrigues

Foi o primeiro reforço a chegar ao São Paulo após se destacar na Série B de 2020 pela Ponte Preta. Participou de apenas sete partidas, teve seu vínculo rescindido e se transferiu para Portugal.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

William

Contratado de surpresa durante o Paulista, o volante de 35 anos só foi inscrito na fase final do estadual. Jogou pouco, só nove vezes, e sofreu com seguidas lesões. A última delas obrigou a realização de uma artroscopia no joelho em agosto que o afasta dos gramados desde então. Seu contrato termina no fim de dezembro e a diretoria do São Paulo já comunicou o atleta que seu vínculo não será renovado.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Veja também: São Paulo decide não renovar com William

Post anteriorIsaac: “Estava precisando de um jogo como esse”
Próximo PostRafinha: “Todo mundo sabe que sou são-paulino e o meu desejo era jogar aqui”