Caminho do Tri-Hexa: Empate amargo no Morumbi

No dia 06 de julho de 2008 (domingo), o São Paulo recebeu o Ipatinga no estádio do Morumbi, válido pela 9º rodada do Campeonato Brasileiro. Dentro do campeonato, as equipes brigavam por objetivos diferentes.

Com a vantagem de jogar em casa e ter o apoio da torcida, o Tricolor veio com moral, principalmente pelo fato de ter conquistado bons resultados nas rodadas anteriores (3 vitórias e 1 empate fora). Com isso, havia a oportunidade de garantir mais um êxito e encostar na parte de cima da classificação.                  

Pelo outro lado, o time mineiro, que participava de forma inédita na primeira divisão do Brasileiro, veio a capital paulista em busca de um resultado positivo e com a intenção de escapar da parte de baixo da tabela.      

O jogo

O técnico Muricy Ramalho escalou o que tinha de melhor para encarar o visitante. Com o esquema habitual (3-5-2), colocou o trio titular na zaga, Alex Silva, André Dias e Miranda. Nas alas, promoveu Joílson e Jorge Wagner para dar opções pelos lados. No meio-campo, fixou Zé Luís e liberou Hernanes que tinha forte apoio na armação. Na linha ofensiva, manteve o trio Hugo, Borges e Aloísio.

Já a proposta do Ipatinga foi simples, o treinador Ricardo Drubsky escalou a primeira linha de 4 e implementou um losango com três volantes (Leandro Salino, Xaves e Léo Oliveira) com o papel de povoar o meio. E, liberou, Paulinho Dias para ser o responsável na qualidade no passe. Além disso, deixou o seu melhor jogador Adeílson mais solto para minuciar o atacante Neto Baiano.

Primeiro tempo com surpresa mineira

Após o início da partida, o prognóstico do duelo previa um São Paulo envolvendo o adversário. Mas na prática, a proposta do time mineiro foi bem executada. Com forte marcação no meio-campo, fechava bem o espaço para evitar o ataque do São Paulo.

Os três zagueiros postados e um volante fixo, culminou com Hernanes, Joílson e Jorge Wagner serem os responsáveis pelas criações das jogadas ofensivas. Além disso, Hugo ficou mais avançado, como terceiro atacante pela esquerda. Porém, faltava dinâmica e velocidade na parte ofensiva para livrar-se da marcação cerrada adversária. Durante o andamento do confronto, o Clube da Fé teve dificuldades para ultrapassar e furar o bloqueio mineiro.

Do outro lado, o Tigre teve em seu melhor jogador Adeílson duas boas oportunidades. Sempre com velocidade e habilidade, deu trabalho à zaga são-paulina.

Aos 8’, o futebolista, aproveitou o espaço nas costas de Joílson e avançou com rapidez e chegou cara a cara com o M1TO que fechou bem o espaço e defendeu. Em seguida, aos 17,’ novamente com o camisa 11 mineiro.

O São Paulo estava com dificuldade para acertar a marcação na linha da defesa, visto que, o ataque mineiro chegava com facilidade. No lado de fora do campo, Muricy Ramalho estava muito incomodado com a situação.

Apesar do obstáculo no confronto, o São Paulo chegou a criar perigo, sempre pelo lado direito com Joílson. Aos 27’, o camisa 12, chutou cruzado e o goleiro Fred fez boa interceptação. Já na reta final do primeiro tempo, aos 39’, o São Paulo abriu o placar. Em ótimo lançamento de Hernanes para direita, Joílson recebeu em velocidade, dominou e cruzou em direção ao eficiente Borges, o artilheiro finalizou de voleio e estufou a rede e colocou o nosso Tricolor à frente do marcador. O tento, fez o São Paulo ganhar moral na partida, a ponto, de produzir mais chances.

A primeira, aos 42’, em cruzamento de Jorge Wagner na cobrança de falta pela direita que Miranda desviou e a bola passou rente à trave direita do arqueiro adversário. A segunda, nos acréscimos com Joílson novamente, o atleta avançou por dentro e arrematou forte, Fred fez a defesa.

A etapa inicial terminou; e mesmo com o dono da casa na frente, o futebol apresentado, estava abaixo das expectativas.

Segundo tempo com vacilo no final

Na volta do intervalo, o São Paulo veio com o ímpeto de mudar a sua postura e avançou mais ao ataque. Aos 9’, em jogada no ataque, Jorge Wagner na intermediária, finalizou, a bola bate na zaga e sobra para Hugo, que livre dentro da área, tentou tirar do goleiro Fred e isolou por cima.

Logo em seguida, aos 11’, Adeílson respondeu com uma bela jogada; cortou Alex Silva e chutou forte, o M1TO são-paulino fez uma linda defesa. Na jogada seguinte, em cobrança de escanteio, Gian cabeceou e com reflexo, o goleiro artilheiro, realizou mais uma bela defesa.

Com o decorrer do jogo, o Ipatinga cresceu no jogo e aproveitou muito os espaços deixados pelos são-paulinos. Saía em velocidade no contragolpe e causava perigo a defesa paulista. Aos 25’, com Adeílson novamente, chegou no ataque e acertou uma finalização direta no travessão. Com marcação forte, o time comandando pelo treinador Ricardo Drubsky, não deixava o principal jogador do São Paulo, Hernanes, jogar à vontade. O camisa 15, não estava em uma noite inspirada.

Com isso, o esquadrão tricolor, sentiu muito na parte ofensiva. O volante Richarlyson entrou em seu lugar. E, no ataque, o atacante Dagoberto entrou no lugar de Aloísio, impôs mais rapidez na linha ofensiva e objetividade com boas finalizações. Mas, caiu na monotonia da baixa inspiração tricolor no confronto.

Mesmo com o número de finalizações superior do Tricolor, com 13contra 9, o time mineiro foi mais efetivo na parte ofensiva, tanto que aos 43’, o meia Luciano Mandí que tinha acabado de entrar, em cobrança de escanteio, subiu mais alto que Miranda e testou ao fundo do gol e igualou o placar. O empate veio como uma ducha de água fria ao time são-paulino.

Ainda assim, nos acréscimos exatamente aos 47’, em bola levantada na área, Hugo sozinho, cabeceou na rede do lado de fora e desperdiçou uma grande chance de garantir o êxito.

Resultado ruim para o São Paulo que além de apresentar um futebol abaixo, desperdiçou a chance de encostar na parte de cima da tabela. O Tricolor chegou aos 14 pontos e ocupa o sétimo lugar ao final da 9ª rodada.

Ficha Técnica

São Paulo 1 x 1 Ipatinga – 9ª Rodada

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Miranda, André Dias e Alex Silva; Joílson, Zé Luís, Hernanes (Richarlyson), Hugo e Jorge Wagner; Borges e Aloísio (Dagoberto).
Técnico: Muricy Ramalho.

IPATINGA
Fred; Márcio Gabriel (Marinho), Thiago Vieira, Gian (Henrique) e Rodriguinho; Leandro Salino, Xaves, Léo Oliveira e Paulinho Dias; Neto Baiano (Luciano) e Adeílson.
Técnico: Ricardo Drubscky.

Local: Estádio do Morumbi, São Paulo – SP
Data: Domingo, 06/07/2008
Horário: 18:10
Público: 13.421 pagantes
Renda: R$ 256.375,00
Árbitro – Leandro Pedro Vuaden (RS).
Cartões Amarelos – Alex Silva (SPO) e Miranda (SPO).
Gols: Borges, aos 40 minutos do primeiro tempo. / Luciano Mandi, aos 43 minutos do segundo tempo.

Melhores Momentos

Confira os jogos anteriores

1ª Rodada – São Paulo 0 x 1 Grêmio
2ª Rodada – Athletico 1 x 1 São Paulo
3ª Rodada – São Paulo 1 x 1 Coritiba
4ª Rodada – Santos 0 x 0 São Paulo
5ª Rodada – São Paulo 5 x 1 Atlético/MG
6ª Rodada – Flamengo 2 x 4 São Paulo
7ª Rodada – São Paulo 1 x 0 Sport
8ª Rodada – Cruzeiro 1 x 1 São Paulo


Alan Ribeiro Gomes. Tenho 27 anos, formado em Jornalismo e atualmente faço graduação em Educação Física. A torcida pelo São Paulo Futebol Clube iniciou através de meu pai desde criança. A partida decisiva da final do Campeonato Paulista de 1998 foi um dos grandes marcos em minha vida. Ao longo dos anos, a paixão pelo tricolor só aumentou, independente de vitórias ou derrotas. Acompanhar o Clube da Fé é algo que faz parte da minha vida.

Foto: GloboEsporte.com

Comente com sua conta do Facebook: