Caminho do Tri-Hexa: revés nos Aflitos

Em plena quarta-feira à noite, dia 09 de julho de 2008, o São Paulo visitou o Náutico no estádio dos Aflitos, em partida válida pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo fora de casa, o Tricolor buscava a vitória, com o objetivo de recuperar os pontos perdidos, após o tropeço em casa na rodada anterior. Já o time pernambucano, que até aquele momento no torneio, estava invicto em seus domínios, contava com o apoio de sua torcida para conquistar os três pontos, com a intenção de consolidar sua briga na parte de cima da tabela.

O jogo

Em relação a última partida, o técnico Muricy Ramalho manteve a formação e o esquema tático (3-5-2). Mas, o comandante fez apenas uma alteração na equipe titular. Com o desfalque de Alex Silva (suspenso pelo terceiro amarelo), recuou Zé Luís para zaga ao lado de André Dias e Miranda, formando a linha de três zagueiros.  E, promoveu Richarlyson no meio-campo ao lado de Hernanes. 

Pelo outro lado, o treinador do Timbu, Leandro Machado optou por colocar uma equipe forte na marcação, escalando uma linha de três zagueiros (Vagner, Everaldo e Negretti) e três volantes (Ticão, Radamés e Paulo Santos). E, oferecer mais liberdade ao lateral/ala Ruy e o armador João Paulo com a intenção de minuciar o avanço de Felipe e Wellington na parte ofensiva.

Primeiro tempo equilibrado

Pelo lado do São Paulo, a liberdade de Hernanes ao campo de ataque, com habilidade e visão, o camisa 15 deslocava em todo o campo, sendo o responsável pela armação da equipe do Morumbi. Aos 8’, o meia avança pela esquerda de ataque e cruza na área. O atacante Aloísio desvia de cabeça e a bola entra, mas o assistente Carlos Berkenbrock assinala impedimento corretamente. De fato, o atleta estava um pouco à frente.

Em seguida, o Tricolor teve uma baixa importante, Miranda foi desarmar o adversário na corrida e devido ao gramado, prendeu a perna esquerda em um buraco e lesionou-se. Foi substituído por Juninho.

Mas aos 20’, o São Paulo abriu o marcador. Em jogada de habilidade e raciocínio rápido, Hernanes aplica um drible em Ticão pela direita e cruza para Borges, o camisa 17, antecipa a marcação na pequena área e empurra a gorduchinha para a rede. Sem tempo de reação ao goleiro Eduardo. Sexto gol do artilheiro na competição!

Mas comemoração foi rápida, já que aos 22’, em falta cobrada pelo lado esquerdo do ataque pernambucano, Ruy cruza, a zaga são-paulina faz a saída em linha, mas Radamés vem de trás e com condição, aproveita o cruzamento e cabeceia, a bola encobre Ceni e vai para dentro da meta. Bobeada do sistema defensivo tricolor, que resultou no empate dos donos da casa.

Segundo tempo e virada

O duelo na etapa complementar, persistiu com avanço ofensivo de ambas as equipes. A primeira chance, foi aos 4’, Richarlyson aproveitou o rebote e arriscou de perna esquerda, a bola passou perto da meta de Eduardo.

Mas foi o Náutico que virou a partida. Aos 12’, em disputa no meio campo, a bola vem limpa ao zagueiro Everaldo que arremata uma linda finalização de perna esquerda e acerta o ângulo. Uma bola indefensável ao M1TO. Tento que colocou o dono da casa na frente do placar.

O São Paulo em busca do empate, foi para cima. O que levou Muricy Ramalho mexer na equipe de forma ousada. Colocou o ponta Eder Luís no lugar de Joílson na ala direita, com o objetivo de jogar mais pelos lados. Após a modificação, o Clube da Fé, foi para cima e teve chances de gols.

Aos 20’, Richarlyson lança Borges, o atacante aproveita a falha do goleiro e escora a bola em direção ao gol, mas Paulo Santos salvou em cima da linha. Depois no minuto 31’, Jorge Wagner cruza na área e após o desvio de cabeça, o zagueiro André Dias chega inteiro na bola e sozinho na frente do gol, pega mal na bola, e finaliza para fora. E, nos acréscimos, após a pressão são-paulina, a bola sobra na intermediária e sobra limpa para Hernanes que finaliza, o jogador pega bem na bola, mas vai em direção pela rede no lado de fora.

Fim de jogo com êxito do Náutico pelo placar de 2 a 1 contra o São Paulo.

O dono da casa chegou a 17 pontos e assume o sexto lugar, sendo assim permanece invicto nos Aflitos pelo torneio nacional. Já o São Paulo permanece com 14 pontos na oitava posição. O revés, interrompe uma série de 8 jogos invictos do São Paulo.

Ficha Técnica

Náutico 2 x 1 São Paulo – 10º Rodada

NÁUTICO
Eduardo; Ruy, Vagner, Everaldo e Negretti; Ticão, Radamés, Paulo Santos (Tiago, aos 22min do 2º tempo) e João Paulo (Itaqui, aos 37min do 2º tempo); Felipe (Gilmar, aos 15min do 2º tempo) e Wellington.
Técnico: Leandro Machado

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Joilson (Eder Luis, aos 18min do 2º tempo), André Dias, Miranda (Juninho, aos 15min do 1º tempo) e Richarlyson; Hernanes, Zé Luís, Hugo e Jorge Wagner; Borges e Aloísio.
Técnico: Muricy Ramalho

Local: Estádio dos Aflitos, Recife
Data: 09/07/2008 (quarta-feira)
Horário: 21h45
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (SC)
Cartões amarelos: Hugo (SPO), Joílson (SPO), Rogério Ceni (SPO), André Dias (SPO), Richarlyson (SPO), Borges (SPO); Everaldo (NAU)
Gols: Borges, aos 20min, e Radamés, aos 23min do primeiro tempo; Everaldo, aos 12min do segundo tempo

Melhores Momentos

Confira os jogos anteriores

1ª Rodada – São Paulo 0 x 1 Grêmio
2ª Rodada – Athletico 1 x 1 São Paulo
3ª Rodada – São Paulo 1 x 1 Coritiba
4ª Rodada – Santos 0 x 0 São Paulo
5ª Rodada – São Paulo 5 x 1 Atlético/MG
6ª Rodada – Flamengo 2 x 4 São Paulo
7ª Rodada – São Paulo 1 x 0 Sport
8ª Rodada – Cruzeiro 1 x 1 São Paulo
9ª Rodada – São Paulo 1 x 1 Ipatinga


Alan Ribeiro Gomes. Tenho 27 anos, formado em Jornalismo e atualmente faço graduação em Educação Física. A torcida pelo São Paulo Futebol Clube iniciou através de meu pai desde criança. A partida decisiva da final do Campeonato Paulista de 1998 foi um dos grandes marcos em minha vida. Ao longo dos anos, a paixão pelo tricolor só aumentou, independente de vitórias ou derrotas. Acompanhar o Clube da Fé é algo que faz parte da minha vida.

Foto: Divulgação

Comente com sua conta do Facebook: