Caminho do Tri-Hexa: vitória decidida no final

No dia 20 de julho de 2008 (domingo), foi realizado no Estádio do Morumbi o duelo entre São Paulo e Botafogo, válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Tricolor entrou em campo com duas importantes vitórias nas rodadas anteriores. Com isso, a meta era alcançar os concorrentes e entrar no grupo de classificação para a Copa Libertadores. Do outro lado, havia a equipe do Botafogo que até aquele momento no torneio estava vivendo uma má fase, ocupando a segunda parte da tabela. Porém, tinha jogadores experientes e de boa qualidade técnica, sendo assim, os cariocas vieram à capital paulista em busca dos três pontos.

O jogo

O técnico Muricy Ramalho mandou à campo uma equipe com alterações entre os titulares em relação ao último jogo. Mesmo assim, o comandante tricolor manteve a formação tática anterior (4-4-2).

As mudanças foram nas laterais. Na direita, colocou Eder Sciola e na esquerda deu oportunidade ao jovem da base Alex Cazumba. Compôs a dupla de zaga entre Alex Silva e André Dias, que retornou da suspensão por cartão. Mais à frente, no meio-campo, deslocou Zé Luís para atuar ao lado de Hernanes e na armação Jorge Wagner e Hugo estavam mais aptos para minuciar as linhas ofensivas.

No ataque, mesmo com Aloísio à disposição, o treinador decidiu permanecer com Eder Luís e Dagoberto mais à frente, já que a dupla fez um ótimo jogo na Bahia.

Pelo lado do Fogão, o treinador Ney Franco escalou um forte time para enfrentar o São Paulo. Com um meio campo forte na marcação e que tinha qualidade para avançar à frente. Com Túlio, Diguinho, Zé Carlos e Lúcio Flávio. Na parte ofensiva, escalou o ponta Jorge Henrique e o centroavante Wellington Paulista. Tarefa dura ao Clube da Fé! 

Primeiro Tempo com pênalti convertido por Ceni

O São Paulo impôs uma pressão no Botafogo logo no início. O veloz Eder Luís pegou a sobra de bola na intermediária e soltou a bomba. A bola rebateu na zaga e foi para escanteio. Na jogada seguinte, Jorge Wagner cruzou fechado e Hugo tocou para dentro, o volante Zé Luís subiu mais alto que a zaga e testou direto para o gol, o ala Triguinho salvou em cima da linha.

Somente aos 17,’ que o visitante assustou a meta de Ceni. O atacante Jorge Henrique lançou a bola pelo lado esquerdo para Zé Carlos, o jogador soltou uma bomba de primeira, o goleiro são-paulino, realizou com uma manchete de vôlei uma boa defesa.

Só que aos 32’, após uma rápida tabela entre Eder Luís e Jorge Wagner, o camisa 7, lança rasteiro para Alex Cazumba em velocidade livre de marcação. Com o objetivo de fechar o espaço e pegar a bola, o goleiro uruguaio do alvinegro Castillo chega atrasado e derruba o futebolista tricolor na grande área.

O árbitro Leandro Pedro Vuaden marca a penalidade a favor do São Paulo e aplica o cartão amarelo ao arqueiro. Na cobrança, aos 34’, Rogério Ceni converte com segurança, forte no alto do lado esquerdo e abre o placar para o Clube da Fé.

Até o final da primeira etapa, o São Paulo segurou o resultado e levou ao intervalo a vantagem de 1 a 0.

Etapa final com equilíbrio e gol no final

Aos 5’ do segundo tempo, um lance impressionante. Em contragolpe, Wellington Paulista lançou Lúcio Flávio que ficou cara a cara com Ceni, o camisa 10, cortou para dentro e com categoria encobriu o goleiro artilheiro, só que Alex Silva com eficiência e rapidez tirou a bola na linha da meta. O zagueiro evitou o gol certo do Fogão!

O professor Muricy Ramalho entendendo que o adversário tinha espaço, fechou o time, colocando Juninho no lugar de Alex Cazumba. Além disso, mudou esquema tático para 3-5-2. Dentro disso, deslocou Jorge Wagner para a ala esquerda; e deixou mais compacto o seu esquadrão, com a intenção de explorar o contragolpe com Eder Luís e Dagoberto.

Do outro lado, com a entrada da atacante Gil no lugar de Lúcio Flávio, os cariocas abriram mais pelos lados com Jorge Henrique na ponta esquerda e Gil na direita. Tanto que, aos 32’, o camisa 11 do Botafogo tocou para Carlos Alberto, o meia ajeitou e chutou, no caminho, a bola desviou na zaga e enganou Rogério Ceni que não teve ação. Placar igual no Morumbi!

Até aquele momento, o resultado era justo, visto que, o duelo de finalizações foi favorável ao Botafogo com 5 (SPO) e 14 (BOT). E, nos desames, o visitante ficou o dobro na frente, sendo 11 (SPO) contra 22 (BOT). O lado ruim do confronto, apesar de ser bem disputado, ficou com alto índice de passes errados com 42 (SPO) e 44 (BOT),  

Com o resultado de empate, o Tricolor ficou mais agressivo e o treinador promoveu Aloísio no lugar de Eder Luís. Mesmo assim, quem teve a chance de marcar o segundo gol foi a agremiação carioca.

Aos 43’, o Tricolor com toda sua eficácia, definiu o jogo. O meia Hernanes pedalou para esquerda, tirou a marcação e lançou Hugo. O camisa 18, alcança a bola pela esquerda; e cruza rasteiro.  O atacante Aloísio antecipa a zaga e faz a proteção, logo em seguida, passa para Jorge Wagner, o ala esquerdo como elemento surpresa veio nas costas da marcação; e com categoria, introduz uma assistência, com um belo cruzamento para Dagoberto. O camisa 25, sem marcação, tocou direto para o gol e definiu o placar no estádio do Morumbi com vitória do São Paulo pelo placar de 2 a 1.

O resultado positivo, levou o clube paulista chegar nos 23 pontos. Com isso, ocupa agora a 5º colocação na classificação, colado na zona da Copa Libertadores.

Você lembra deles?

Lúcio Flávio que nesta partida vestia a camisa 10 do Botafogo. Teve uma rápida passagem pelo São Paulo no ano de 2002. Vindo do Paraná Clube, o jogador chegou, com o objetivo de compor o plantel na época. Porém, não se firmou e realizou ao todo, somente 2 jogos pelo clube e nenhum gol. Atualmente, com 40 anos, está aposentado.

O lateral esquerdo Alex Cazumba atuou como titular nesta partida e sofreu o pênalti no primeiro gol. O futebolista, teve a formação na base do América de Rio Preto e Mirassol até chegar ao juvenil do São Paulo em 2005.

No início da temporada de 2007, foi titular ao lado do zagueiro Breno e do meia Sérgio Mota na campanha que levou à equipe comandada pelo técnico Marcos Vizolli ao vice-campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior daquela edição.

Ao longo deste ano, foi emprestado junto ao Rio Claro no Paulista e depois repassado ao Juventude para disputar o Brasileiro. Somente em 2008 teve mais oportunidades para atuar nos profissionais. Inclusive, em alguns jogos do nacional. Mesmo assim, não permaneceu no elenco até o final do ano. Pelo fato, de ter sido novamente emprestado, desta vez, ao Figueirense.

Depois, não houve mais chances para integrar o plantel. Sendo emprestado para outras agremiações. Até que em 2012, teve seu contrato encerrado. Defendendo as cores tricolores, realizou 8 partidas e não marcou gols. Atualmente com 31 anos, é jogador do Bahia de Feira- BA.

Ficha Técnica

São Paulo 2 x 1 Botafogo – 13ª Rodada

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Éder, Alex Silva, André Dias e Alex Cazumba (Juninho, aos 13min do 2º tempo); Zé Luis, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto (Jean, aos 47min do 2º tempo) e Éder Luis (Aloísio, aos 20min do 2º tempo).
Técnico: Muricy Ramalho

BOTAFOGO
Castillo; Renato Silva, André Luis e Triguinho; Thiaguinho, Túlio (Carlos Alberto, aos 11min do 2º tempo), Diguinho, Lúcio Flávio (Gil, aos 18min do 2º tempo) e Zé Carlos; Jorge Henrique e Wellington Paulista.
Técnico: Ney Franco

Local: Estádio do Morumbi, São Paulo – SP
Data: 20/07/2008 (Domingo)
Horário: 18:10
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (SC)
Cartões Amarelos: André Dias (10min/2º) e Castillo (34min/1º)
Gols: Rogério Ceni, aos 35’ do 1º tempo / Carlos Alberto, aos 31’ e Dagoberto, aos 44’ do 2º tempo

Melhores Momentos

Confira os jogos anteriores

1ª Rodada – São Paulo 0 x 1 Grêmio
2ª Rodada – Athletico 1 x 1 São Paulo
3ª Rodada – São Paulo 1 x 1 Coritiba
4ª Rodada – Santos 0 x 0 São Paulo
5ª Rodada – São Paulo 5 x 1 Atlético/MG
6ª Rodada – Flamengo 2 x 4 São Paulo
7ª Rodada – São Paulo 1 x 0 Sport
8ª Rodada – Cruzeiro 1 x 1 São Paulo
9ª Rodada – São Paulo 1 x 1 Ipatinga
10ª Rodada – Náutico 2 x 1 São Paulo
11ª Rodada – São Paulo 2 x 1 Palmeiras
12ª Rodada – Vitória 1 x 3 São Paulo


Alan Ribeiro Gomes. Tenho 27 anos, formado em Jornalismo e atualmente faço graduação em Educação Física. A torcida pelo São Paulo Futebol Clube iniciou através de meu pai desde criança. A partida decisiva da final do Campeonato Paulista de 1998 foi um dos grandes marcos em minha vida. Ao longo dos anos, a paixão pelo tricolor só aumentou, independente de vitórias ou derrotas. Acompanhar o Clube da Fé é algo que faz parte da minha vida.

Foto: ESPN

Comente com sua conta do Facebook: